No dia 22 de agosto de 1937, a família real britânica viveu uma das piores tragédias de sua história. Durante um voo em um pequeno avião de passageiros, a irmã do Príncipe Philip, Cecília, acabou sofrendo um acidente que lhe custaria a vida, assim como a de outras pessoas a bordo.

Cecília era a quarta filha do Príncipe Andrew da Grécia e da Princesa Alice de Battenberg. Nascida em 1911, a jovem se destacava por sua beleza e simpatia, além de possuir uma inteligência acima da média.

Em 1930, Cecília se casou com o Príncipe George de Hesse e do Reno, com quem teve dois filhos. No entanto, sua vida foi interrompida precocemente quando ela tinha apenas 26 anos de idade.

O voo que levaria Cecília e sua família de volta para casa partiu de Ostend, na Bélgica, com destino a Londres. Durante a rota, no entanto, o avião enfrentou problemas técnicos e acabou caindo em uma região montanhosa da Alemanha.

Além de Cecília, o acidente vitimou seu marido, seus filhos, a mãe de George e o piloto. O único sobrevivente da queda foi o irmão mais novo de Cecília, o Príncipe Philip, que na época tinha apenas 16 anos.

O acidente abalou profundamente o jovem Philip, que tinha uma relação muito próxima com a irmã. De acordo com relatos, ele chegou a chorar copiosamente durante o funeral de Cecília e teve dificuldades para se recuperar emocionalmente.

A partir de então, a vida do Príncipe Philip mudou drasticamente. Ele foi forçado a abandonar seus estudos na escola de Gordonstoun, na Escócia, e a se juntar à Marinha Real como uma forma de lidar com o trauma.

Para muitos especialistas, o acidente com a irmã de Philip teve um grande impacto em sua personalidade e em sua trajetória como membro da realeza britânica. Segundo relatos, a perda precoce de Cecília teria feito com que ele se tornasse mais fechado e reservado, além de ter desenvolvido um senso de responsabilidade mais apurado.

Nos anos seguintes, Philip se tornaria uma figura importante na corte britânica, sendo conhecido por sua lealdade à Rainha Elizabeth II e por seu trabalho em diversas instituições de caridade. No entanto, a memória da irmã nunca o abandonou e, mesmo após mais de 80 anos, ainda é lembrada como uma das tragédias mais marcantes da história da família real.

Em resumo, o acidente com a irmã do Príncipe Philip foi um episódio marcante na história da realeza britânica, que teve repercussões na vida do próprio Philip e de sua família. Mesmo anos depois, a tragédia ainda é lembrada como uma das mais tristes da história real.